SBV

;

Fotos Igreja

sábado, 22 de agosto de 2009

Aula de Violão 3

Capítulo 6: Formação dos Acordes (Menores)

Neste capítulo iremos introduzir um outro tipo de acorde, os acordes menores. Os acordes menores são representados pela letra m em minuscula. Ex: DOm, REm, FAm e etc!
Assim como os acordes maiores, os menores também são formados por conjuntos de notas, porém a tabela que teremos que fazer será um pouco diferente. Lembra que no capítulo 4 que da III para IV e da VII para a VIII aumentavamos 1/2 tom? (Se não se lembra dê uma olhada na tabela do cap. 4). Para os acordes menores, os graus vão mudar, confira a tabela abaixo e veja que agora temos da II para III e da V para VI aumentos de 1/2 tom.

 

IIIIIIIVVVIVIIVIII
DOmRERE#FASOLSOL#A#DOm
REmMIFASOLLALA#DOREm
MImFA#SOLLASIDOREMIm
FAmSOLSOL#LA#DODO#RE#FAm
SOLmLALA#DORERE#FASOLm
LAmSIDOREMIFASOLLAm
SImDO#REMIFA#SOLLASIm
Lembrete:
Mi + 1 tom = Fa#, porque Mi + 1/2 tom = Fa.
Si + 1 tom = Do#, porque Si + 1/2 tom = Do.
Se pegarmos a PRIMEIRA, a TERÇA e a QUINTA obteremos qualquer acorde menor!
Ou seja:
REm é formado pelas notas: REm, FA e LA
SOLm é formado pelas notas: Sol, La# e Ré
(O m na tabela só consta a título de demostração)

 
Capítulo 7: Introdução a notação de CIFRAS
Cifra é apenas uma notação diferente para os acordes, muitos a consideram um método, e na verdade realmente é. Existem dois métodos mais conhecidos para aprender e tocar violão, o método da Pauta Músical, que é bem mais preciso, pois contém a oitava que a nota deve ser tocada assim como o seu tempo e todos os detalhes para que a música seja tocada exatamente como seu criador a compos. No método das cifras, o processo foi simplificado, porém depende muito mais da sua habilidade e criatividade para conseguir fazer com que a música lembre a original. Por ser mais simples de entender, as cifras foram se tornando o padrão mais conhecido e utilizado pelos músicos amadores, você já deve ter visto algo parecido com isso:
Garçom (Reginaldo Rossi)
Dm Gm
Garçom, aqui, nesta mesa de bar
A Dm A
Você já cansou de escutar, centenas de casos de amor
Dm Gm
Garçom, no bar, todo mundo é igual
A Dm D7
Meu caso é mais um, é banal, mas preste atenção por favor


CifraNota correspondenteCifraNota correspondente
AAmLá menor
BSiBmSi menor
CCmDó menor
DDmRé menor
EMiEmMi menor
FFmFá menor
GSolGmSol menor

Capítulo 8: Acordes com 7ª
Existem notas que além de serem formados pela PRIMEIRA, TERÇA e a QUINTA são formados também pela SÉTIMA. Estes acordes são chamados de Acordes com 7ª. Neste capítulo aprenderemos a fazer os acordes com 7ª apartir das tabelas dos capitulo 4 e 5.
Para acharmos a sétima menor de uma nota devemos pegar a primeira (que é sempre ela própria) e diminuir um tom inteiro e para charmos a 7ª Maior (Ex. D7M) pegamos a primeira e diminuimos 1/2 tom!
Portanto a notação é:
X7 - Leia X com 7ª menor ou apenas, X com sétima
X7M - Leia X com 7ª maior.
Por Exemplo:
A7 (La com 7ª), pegamos o próprio Lá (nota), que é a primeira de A (acorde) e diminuimos 1 tom inteiro.
ou seja, o A era formado por, La, Do e Mi daí pegamos a primeira de A que é Lá e diminuimos 1 tom, então A7 é formado por Sol, Do e Mi.
Por que pegar a primeira e diminuir 1 tom para achar a sétima menor, qual é a lógica?
Muito simples, um acorde com sétima é formado pela TERÇA, QUINTA e a SÉTIMA, para encontrarmos a sétima, é mais fácil você pegar a OITAVA e diminuir 1 tom inteiro, não é mesmo? É, exatamente o que nós fizemos, lembra que a 1ª a a oitava são iguais! Baixamos direto da primeira porque já sabemos que a primeira de qualquer nota é ela mesma!
Vamos a outro exemplo:
Como achar D7 (Ré com 7ª)?
Primeiro passo: Quais as notas que formam D?
Elas são: Ré, Fa# e Lá (Consulte o capítulo 4 se tiver dúvidas)
Sabemos que a primeira de qualquer nota é ela mesma, então a primeira do acorde Ré é a nota Ré, então vamos achar a sétima diminuindo 1 tom da primeira. Ré - 1 tom = Dó
Então, D7 é formada por: Do, Fa# e Lá.
(Cuidado quando for diminuir 1 tom de Fa e Dó, pois Dó - 1 tom = La# e Fá - 1 tom = Ré#)
Podemos lembrar também todos os acordes se apresentam conforme as seguintes denominações:
a) ACORDES CONSONANTES: Representam a série de acordes que ao serem tocados transmitem uma sensação repousante e harmoniosa. Geralmente são as "posições" mais fáceis de serem tocadas Portanto, nesta fase do curso, vamos usar principalmente estes acordes.
b) ACORDES DISSONANTES: Ao contrário dos anteriores, estes transmitem uma sensação mais tensa, mais chocante (dando a impressão de pouco harmoniosa).
Estes acordes são utilizados principalmente na execução da "Bossa Nova" e do "Jazz". Muitas vezes, quando estes acordes são tocados separadamente, transmitem uma sensação de "erro", porém, no contexto geral da música tornam-se agradáveis.
Podemos lembrar também que stes símbolos abaixo são utilizados para nomear acordes:
M ou + Lê-se maior
+5 " com quinta aumentada
6 " com sexta maior
7 " com sétima (menor) - da dominante
7M " com sétima - Maior
9 " com nona - Maior
m " menor
m6 " menor com sexta
dim ou o " sétima diminuta
m7 " menor com sétima
-9 " com nona menor

 
Capítulo 9: Acordes Relativos
Existem alguns acordes que são bem difíceis de serem feitos, alguns usam pestana outros exigem uma abertura de dedo muito grande, ou seja, tudo que os iniciantes fogem! Para sorte de vocês, existem acordes que possuem som bem parecido com outro acorde!
Como os acordes são formados pela PRIMEIRA, TERÇA e a QUINTA, acordes que possuam a terça e a quinta iguais sãs chamados de relativas (A primeira nunca será igual, pois a primeira de qualquer nota é ela mesma, além disso, se fosse igual seria a mesma nota).
Vejamos as principais notas relativas.


CifrasSuas Relativas
AF#m
BG#m
CAm
DBm
EC#m
FDm
GEm

Capítulo 10: Inversões
Fazer a inversão de um acorde significa colocar na base desse acorde, ao invés da nota fundamental, a mediante ou a dominante. Por exemplo: C é formado por: Dó, Mi e Sol. Sua primeira inversão, é em Mi, sua segunda Inversão é em Sol e sua Terceira Inversão é em Si, e o que isso significa?
Mi, Sol e Si correspondem, respectivamente à TERÇA, QUINTA e a SÉTIMA de Dó.
As inversas devem ser adicionadas as notas originais, ou, as notas originais devem ter o baixo na nota inversa.
Exemplos: Existem duas notações:


1ª Notação
2ª Notação
Quando temos algo parecido com X/Y, onde X é uma nota qualquer e Y é outra nota qualquer.
Quando temos algo parecido com X/N onde X é uma nota qualquer e N é um número qualquer.

Exemplos:Exemplos:
G/AC/7
Em/BD7/9
Fa#/EE7/11

Você já deve ter visto algo parecido com isso:
Tempos Modernos
De: Lulu Santos
Introdução: (G/D D) A Em
G D A7 A6
Eu vejo a vida melhor no futuro
Em G D A7
Eu vejo isto por cima de um muro
G Em/B
De hipocrisia
Em C7+ C/D
Que insiste em nos rodear
Na introdução, temos logo de cara um Sol com baixo em Ré, analizando a nota, através da tabela do cap. 5, descobrimos que Ré é a Quinta de Sol, ou seja, sua 2ª inversão!
Depois temos Mi menor com baixo em Si, Si também é a Quinta de Mi menor, portanto também é a 2ª inversão.
Já o Dó com baixo em Ré, na última linha, é uma outra nota, não é uma inversa, pois a inversa deve ter baixo ou na TERÇA, na QUINTA ou SÉTIMA. Analizado esta nota, chegamos a conclusão que o Ré, é a NONA de Dó. (ou SEGUNDA, mas a notação mais usual é a oitava superior)
Por que Ré é a Nona de Dó?
Sabemos que a PRIMEIRA e a OITAVA são iguais, por que? Uma oitava é constituida por 8 notas, por exemplo: Do, Re, Mi, Fa, Sol, La, Si. (1ª Oitava).Do, Re, Mi, Fa, Sol, La, Si, Do. (2ª Oitava)
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15
 

Seja o primeiro a comentar

:)) ;)) ;;) :D ;) :p :(( :) :( :X =(( :-o :-/ :-* :| 8-} :)] ~x( :-t b-( :-L x( =))

Postar um comentário

Novo Comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO